quarta-feira, 26 de junho de 2013

A Revolução dos Vinte centavos.


E as passeatas continuam para desespero do governo brasileiro.

Todos, inclusive a “imprensa” dizem que ainda não entenderam nada.

Que o governo brasileiro continue ignorante quanto aos acontecimentos é viável, tendo em vista a tremenda e avassaladora carência de inteligência que assola os poderes ditos constituídos e seus pelegos; mas a imprensa alegar ignorância é o cúmulo da falsidade, da hipocrisia.

A presidência da republica, em um ato de desesperada impotência, vem à publico e fala o que vai fazer, isto depois de mais de uma semana de manifestações públicas, através de um texto certamente composto por sua assessoria, vazio de lógica, legalização e o conteúdo, com nada novo, é o mesmo palavrório eleitoreiro cotidiano visto por aqui a pelo menos quinhentos anos, naturalmente com uma “nova vestimenta (no caso vermelha)” mas no esmo e florido palco de sempre apenas, desta feita, sem os famigerados “já ganhou... já ganhou!” da bolsista e submissa claque(1).

Esta fala do poder executivo foi a confirmação do óbvio, da acefalia que acomete os poderes constituídos desta nação; desde quando é necessário um plebiscito ou um referendum para por um fim a algo de ruim para uma nação, este pessoal ensandeceu.

Não é por ventura o bem estar público a única prioridade e razão de ser de tais organizações públicas?




Me corrijam, por favor, se estiver eu errado.



 Não é a obrigação de um homem e/ou uma mulher de bem, sejam estes quais forem e onde estejam, praticar atos e promover ações dentro da legalidade, serem honestos em suas intenções e atos, tudo fazerem para coibir o crime?

Então porque “cargas d'água” vir a público e dizer que vai fazer exatamente o que, por uma simples questão de honra, moral e lógica, deveria estar fazendo há muito tempo e o pior, prometer fazer o que exatamente deveria não fazer?

Certamente pensam que todos (com exceção deles) são perfeitos idiotas.

Incompetência completa geral e irrestrita (para não dizer safadeza) é a resposta (motivo) certa(o) para estas patéticas aparições governamentais.

Eu não creio que o movimento tenha se arrefecido, pois o verdadeiro cerne da querela está na dominação estrangeira desta nação por parte de interesses inconfessáveis e tão poderosos, que vergam sobre a sua vontade até as leis deste país com a conivência mais que declarada, não só dos três poderes constituídos desta minha pátria, como também das organizações civis e não governamentais, públicas e religiosas.

Para quem ainda não sabe é este o motivo da aversão completa à bandeiras políticas e de classes junto aos manifestantes trabalhadores e estudantes honestos e decentes.

O Brasil, que eu saiba, é o único país no mundo que consegue abrigar organizadamente por todo o seu território um movimento sem lideranças e mantê-lo vivo por um tempo indeterminado, mesmo com as infiltrações de pessoas ou grupos de pessoas violentas ou não, sob o mando, oriundas de todas as partes e/ou interesses; organizadas pelo governo ou não.

Isso se deve principalmente à incompetência política (fundamentada esta na filosofia do “pão e circo”) e governamental esta, firmemente fundamentada na ideia do “toma-la-e-dá-cá” e do lucro pessoal a qualquer preço; nesta insana orgia qualquer distribuidor de “santinho” em eleições (dependendo do partido “grande vencedor”) pode ser nesta conjuntura o presidente da Petrobras ou do complexo de Itaipu sem o menor constrangimento em face ao olhar, via de regra, estarrecido da nação brasileira, honrada, honesta, estudiosa e trabalhadora.

Não, isso ainda não acabou não.

Se por ventura não for resolvida a contento e definitivamente as pendengas, poderá no máximo ocorrer um estado de calmaria, a mesma calmaria que antecederá a grande tempestade e até mesmo um banho de sangue (indesejável) neste país.

A mais que centenária sem-vergonhice precisa acabar e definitivamente, é urgente cuidar da maioria que é esta nação e não das minorias organizadas como faziam e ainda fazem todos os hipócritas, incompetentes, vagabundos, aproveitadores e velhos comunistas; estamos no século XXI, a URSS não mais existe, o muro de Berlim caiu faz muito tempo, a humanidade saiu da idade da pedra a mais de trinta mil anos e parece que só os políticos, a imprensa e sociólogos brasileiros ainda não descobriram isso.




Não se cura uma ou mais fratura(s) exposta(s) colocando um ou mais de um band-aid, ou ainda dando um beijinho para sarar.




E terminando, quero lembrar a todos que a polícia bem como as forças armadas desta nação cumprem ordens, se estão onde estão e fazendo o que fazem é porque alguém de direito mandou que assim fosse, estas organizações são fundamentadas na ordem, na hierarquia, na lei (graças a Deus) e se assim não o fosse já de há muito estaríamos imersos em um verdadeiro caos social, completamente à mercê da clemência alienígena.

Colaborem com a polícia, ela, apesar de tudo, é tudo o que ainda resta de lei, honra e glória nesta nação.

(1) do francês, aplaudir.

 São Paulo, SP, 26 de Junho de 2013

Mklmouse


Postar um comentário